OAB estuda compra de vacinas para advocacia, nos termos da lei

terça-feira, 13 de abril de 2021

Nesta terça-feira, 13, a partir das 9h, o Conselho Federal da OAB se debruça sobre a proposta de comprar vacinas contra a covid-19 para a advocacia.

Segundo a conselheira Federal Daniela Teixeira, do DF, autora da proposta, “não é um pedido de compra imediata”.

Trata-se, no dizer da advogada, de “autorização para que sejam estudadas e orçadas todas as possibilidades, dentro do novo marco normativo, a lei 14.125/21, que prevê a possibilidade de compra por entes privados para distribuição gratuita, com a doação de 50% das doses ao SUS e para entrega das doses apenas quando finalizada a imunização de todos os grupos prioritários do plano nacional de vacinação, estimado em 72 milhões de pessoas”.

Assim agindo, a Ordem não iria incorrer no erro do chefe do Executivo, que assistiu ao desenrolar da pandemia sem tomar providências e agora não há vacina, a curto prazo, para a sociedade. 

(Imagem: Freepik)

Tema é o primeiro item da pauta na sessão do Conselho Federal marcada para esta terça-feira, 13.

“Não se trata de anteciparmos a nossa vacinação, mas de nos prepararmos para comprar as vacinas quando elas estiverem disponíveis nos termos da lei. Para termos vacinas é preciso planejar, orçar, organizar e se mobilizar. Isso que pedi ao Conselho Federal: que dê prioridade ao assunto.” 

Fonte: OAB