Em nova decisão sobre a suspensão da venda de 212 planos de saúde de 21 operadoras do país, a Justiça Federal do Rio definiu pontos que deveriam ser reconsiderados na avaliação da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

Segundo a decisão do desembargador Aluísio Gonçalves de Castro Mendes, as reclamações de clientes que ainda estão sendo apuradas não podem ser usadas contra as operadoras. Dessa forma, a punição só é possível no caso em que as empresas tenham apresentado defesa e em que a ANS tenha comprovado que houve má prestação no serviço.

Mendes já havia determinado que a ANS não poderia computar na pontuação as reclamações que tenham sido indeferidas pela não obrigatoriedade de cobertura.

Em nota, a ANS diz que, diante do novo critério, o número de planos suspensos não será alterado.

Fonte: FOLHA DE S. PAULO – COTIDIANO

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Deixe seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.