Metade dos voos a partir de e com destino ao principal aeroporto de Paris foram cancelados

Uma greve liderada pelos franceses para protestar contra o projeto de reformulação do fragmentado sistema de controle de tráfego aéreo da Europa prejudica as viagens de avião pelo continente nesta terça-feira. Metade dos voos a partir de e com destino ao principal aeroporto de Paris foram cancelados, assim como voos que partiriam de outros importantes aeroportos europeus como Londres e Frankfurt.

A autoridade de aviação civil francesa disse que 1.800 voos foram cancelados em aeroportos franceses na manhã desta terça-feira. Cerca de 50% dos voos de oito aeroportos do país – Charles de Gaulle, Orly, Marselha, Bordeaux, Beauvais, Lille, Nice e Toulouse – devem ser cancelados entre terça e quinta-feira, disse um porta-voz.

Em outras partes do continente, 70 voos foram cancelados nos quatro maiores aeroportos de Londres, mas os números devem aumentar durante o dia.
As companhias aéreas British Airways e Air France cancelara preventivamente 30 voos que partiriam e chegariam ao aeroporto de Heathrow, em Londres, se antecipando à greve, mas “outros aeroportos europeus estão apresentando dificuldades, então esperamos que este número aumente nas próximas horas”, disse uma porta-voz do aeroporto.

Na Alemanha, a operadora do aeroporto de Frankfurt, a Fraport, informou que 18 voos haviam sido cancelados na manhã desta terça-feira, de um total cerca de 1.400 previstos para o dia.

O Sindicato Nacional dos Controladores de Tráfego Aéreo da França, apoiado pela Federação Europeia dos Trabalhadores do Transporte (ETF), convocou uma greve de três dias enquanto a União Europeia se prepara para avançar com uma reforma no sistema que tem com o objetivo reduzir o congestionamento em seu espaço aéreo, projeto que ganhou o apelido de Céu Europeu Único.
A ETF convocou, separadamente, uma outra ação na quarta-feira, com a qual espera que apenas os controladores aéreos da Hungria se juntem aos trabalhadores franceses numa paralisação.

Controladores em outros cinco países – Bélgica, Itália, Portugal, República Checa e Eslováquia – farão uma espécie de operação tartaruga. Já os controladores na Áustria, Bulgária, Letônia e Reino Unido ainda têm decidir como realizarão seus protestos, informou o secretário político da ETF, François Ballestero. Ele disse que a combinação de ações em toda a Europa provocará atrasos para os passageiros.

Ballestero declarou que a ETF apoiou, inicialmente, a iniciativa do Céu Europeu Único, mas que mais recentes propostas, apelidadas de SES 2+, vão muito longe na liberalização de setores chave da gerência do tráfego aéreo e terão grandes efeitos sobre os empregos e as condições de trabalho.
Até agora, a UE não conseguiu remover as barreiras burocráticas que dividem os 37 países europeus em 63 unidades de controle de tráfego aéreo mal coordenadas. Essa fragmentação significa que o custo por hora da gestão do espaço aéreo é praticamente o dobro do valor norte-americano, segundo a Eurocontrol, a organização que reúne as agências de navegação aérea da Europa.

Fonte: Dow Jones Newswires.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Deixe seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.