O acesso à rede de dados (internet de alta velocidade) das operadoras de telefonia móvel é o principal problema que vem sendo enfrentado pelos consumidores, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A conclusão faz parte da segunda avaliação trimestral — entre novembro de 2012 e janeiro de 2013 — do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal, divulgada nesta sexta-feira. De acordo com o reguladora, a taxa média de sucesso no acesso à rede de dados móvel no país no período foi de 95%. O resultado geral ficou três pontos percentuais abaixo da meta estipulada pela Anatel às operadoras. Por operadora, o levantamento aponta que a Vivo foi a que mais se distanciou da meta, com taxa entre 90% e 95%. As outras operadoras superaram os 95%.

Na análise dos serviços das operadoras nas capitais e cidades com população acima de 300 mil habitantes (totalizando 81 cidades), a Oi foi a operadora com a maior incidência de medições abaixo da meta, considerando todos os serviços analisados (ligações, acesso à internet, queda de chamadas de voz e queda de conexão à internet), em 28 casos, entre novembro de 2012 e janeiro de 2013. A Claro ficou abaixo da meta em 20 casos; seguida pela Vivo, com 12 incidências de descumprimento da meta; e a TIM registrou 9 casos.

No estado do Rio, a Claro foi a única operadora que não bateu todas as metas para os quatro indicadores entre novembro e janeiro. Em Campos dos Goytacazes, a operadora ficou abaixo da meta em seis casos nesse período. Em Niterói, foram três indicadores abaixo da meta, e na capital, outros três indicadores não atingiram a meta.

Procurada para comentar sobre seu desempenho inferior às outras operadoras no acesso à internet, a Telefônica Vivo informou que, em sua rede 3G, cumpre em mais de 99% dos casos o indicador de qualidade de acesso à internet móvel determinado pela Anatel (meta de 98%). “Dos 81 municípios com mais de 300 mil habitantes analisados pelo órgão regulador, no período de novembro de 2012 a janeiro de 2013, em apenas um o índice ficou ligeiramente abaixo da meta”, ressaltou.

A TIM disse considerar “que os indicadores comprovam o compromisso da operadora de trabalhar para o contínuo crescimento da sua infraestrutura e do aprimoramento dos serviços”. E ressaltou que no período indicado, “a operadora apresentou resultado dentro da meta na maioria dos indicadores nacionais, com estabilidade no acesso à rede de voz e um dos melhores índices em queda de chamadas, em torno de 1%”.

A Oi informa que a avaliação trimestral apresentou avanços importantes nos indicadores da companhia. As taxas de acesso à rede de voz , de queda de chamadas e de queda de conexão atingiram os objetivos definidos pela agência reguladora. A Oi destaca o fato de ser a a segunda operadora com menos reclamações sobre completamento e reparos realizadas pelos clientes junto a Anatel, enquanto a quantidade de reclamações por mil usuários permaneceu estável no período.

Em nota, o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil) ressaltou que as prestadoras de telefonia móvel cumpriram as metas definidas de acesso à rede de voz, de qualidade da ligação telefônica e de estabilidade da conexão à internet pela rede móvel avaliadas pela reguladora. E reconheceu que no índice de acesso à rede de dados, o desempenho ficou apenas “próximo da meta”.

Fonte: O Globo

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Deixe seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.